” SOU DEFENSOR DO POVO E DA CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA “

Itaituba/PA- CLAUDIO DALLEDONE ADVOGADO DO EMPRESÁRIO ALBENOR MOURA: SOU DEFENSOR DO POVO E DA CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA

Em entrevista exclusiva concedida a este blogueiro, ao gosto de um filhote assado e suco de cupuaçu, o advogado Claudio Dalledone Junior, que defende o empresário Albenor Moura de Sousa contou com muita simplicidade um pouco de sua vida e de como foi chamado a um dos casos de maior repercussão na região oeste do Pará, para não dizer em todo Pará.

Dr. Dalledone, como foi a sua entrada no caso do empresário Albenor Moura de Sousa?

Caro Pedro, sou um advogado que atua em todo Brasil. Eu e o Dr. Caio, meu sócio, advogamos em São Paulo, no Rio de Janeiro, no Maranhão, Tocantins, em Brasília e por diversas vezes estive em Belém trabalhando. Aliás, gosto muito de trabalhar no Pará, aprendo muito com os profissionais daqui. O Pará tem grandes Juízes, Promotores e principalmente advogados, tanto que o atual Presidente da OAB Nacional, pra nossa alegria e admiração, é um advogado paraense. Tenho muitos amigos aqui no Pará. Em certa ocasião, inclusive, chamei um advogado daqui do Pará pra atuar comigo num Júri que fizemos em Curitiba. Trata-se de um dos maiores e mais brilhantes advogados que conheci, Dr. Eduardo Imbiriba: um talento da advocacia brasileira! Pois bem. Em uma dessas vindas pra Belém, visitando um cliente que se encontrava preso, fui chamado por Albenor que também se encontrava preso naquele presídio. Depois de muitas horas de atendimento onde Albenor me contou toda sua aflição de estar preso há quase um ano e principalmente de ter receio da teia poderosa formada por Dinho, que também era advogado, atingir os advogados que conhecia, achou mais conveniente nos contratar. Dias após conversando com um professor em São Paulo, este me contou que Itaituba e Santarém são conhecidas nacionalmente como formadora dos melhores advogados especializados em Direito Mineral do Brasil. Pra mim é uma grande satisfação atuar neste caso e principalmente nesta região repleta de grandes profissionais e principalmente um povo maravilhoso, educado, solicito,  e com muita responsabilidade.

 

O senhor sendo jovem e com destaque em casos de repercussão nacional o que diria para os jovens que desejam seguir o caminho da advocacia?
Olha Pedro, sou filho de um funcionário público e de uma pedagoga e tenho outros dois irmãos. Meus pais nunca me deixaram faltar nada, mas suei muito pra chegar onde cheguei. Fiz faculdade com ajuda do financiamento estudantil. Sempre tive riqueza de princípios, passados pela minha grande professora que foi minha mãe. A partir disso, digo com convicção que o esforço, o estudo e a determinação são essenciais para se alcançar sucesso na advocacia sem esquecer nunca que o destemor deve ser a nota distintiva do criminalista.
Como foi sua primeira vinda a Itaituba e como o senhor encontrou a família do Albenor?
Pedro, a família estava unida, mas gastando suas últimas forças. A esposa do Albenor teve que alugar seu posto, sua casa, vender alguns bens que de forma suada conquistou. Seu nome estava sujo e já não tinham mais nenhum credito na Cidade. Mas o que me dá mais garra pra defender Albenor é a força de vontade desse homem. Depois de um ano e meio preso, no dia seguinte que foi solto já retornou a Itaituba e com muito, mas muito esforço, dedicação e força de vontade pouco a pouco reconstruiu sua vida. Hoje graças a tudo isso e principalmente com a ajuda de Deus, vejo Albenor trabalhando como um guerreiro e empregando mais de cem pessoas direta e indiretamente.

Tenho 38 anos (o mesmo é solteiro a procura da alma gêmea) e já advoguei no Brasil inteiro, mas nunca vi uma força de vontade como essa. Depois de diversas vindas pra Itaituba vejo que isso é do Itaitubense, a força desse povo é impressionante. Inclusive já fiz grandes amigos e parceiros advogados aqui e já penso concretamente em abrir uma filial do meu escritório no Pará, um plano para o futuro prestigiando os valores inestimáveis que a terra possui. Itaituba é uma cidade de ouro, não só pelo ouro que a torna atraente e cobiçada pelo mundo inteiro, mas principalmente por sua riqueza cultural. Quando ando pela rua, pelo comércio, constato que aqui existem filhos do Brasil todo que acabaram achando aqui seu aconchego e formaram com muito esforço os tão honrados Itaitubenses.

Nesse momento Pedro, depois de tantas vindas a Itaituba e de ser tão bem recebido não só pela família e pelos amigos do Albenor, mas por todo esse povo, do taxista ao recepcionista do hotel, do Juiz a Promotora, do comerciante ao professor, estou plenamente a vontade pra dizer que me sinto como se aqui estivesse nascido.

http://pedroitb.blogspot.com.br/2012/07/itaitubapa-claudio-dalledone-advogado.html?m=1

Fechar Menu