Dalledone Advogados Associados

"Sociedade de Advogados especializada no Direito Criminal há mais de uma década."

Condenado no caso do Morro do Boi vai cumprir pena em prisão domiciliar

juarez

Advogado de Juarez Pinto alegou que cliente está com saúde debilitada.

Crimes de latrocínio e atentado ao pudor ocorreram em 2009, no Paraná.

Juarez Ferreira Pinto foi condenado a 65 anos de prisão (Foto: Reprodução/ RPC TV)

A Justiça aprovou na sexta-feira (13) um pedido de prisão domiciliar para Juarez Ferreira Pinto, condenado pelos crimes do Morro do Boi, em Matinhos, no litoral do Paraná. Juarez estava detido na Casa de Custódia de Curitiba e, segundo o advogado de defesa, Claudio Dalledone Jr., estava com a saúde debilitada em virtude ser portador do vírus da Aids.

Recentemente, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou a condenação de Juarez a 65 anos e cinco meses de prisão ela prática de latrocínio – roubo seguido de morte – e atentado violento ao pudor. Os crimes foram praticados em janeiro de 2009 contra o estudante Osíris Del Corso, que morreu, e contra Monik Pergorari de Lima, que ficou paraplégica após ser baleada e violentada. O casal de namorados andava em uma trilha no Morro do Boi quando foram atacados por Juarez. À época, Monik tinha 23, e Osíris tinha 22 anos.

À época, Dalledone afirmou que o cliente era vítima “de um dos maiores erros judiciais do país”. “Ele é completamente inocente, e isso ficará provado na revisão criminal”, afirmou o advogado. Juarez foi encaminhado para prisão domiciliar ainda na sexta.

Relembre o caso
Na época do ocorrido, em relato aos bombeiros, a jovem disse que, no dia 31 de janeiro, o casal foi abordado por um homem quando percorria uma trilha em direção à Praia dos Amores. Na tentativa de defendê-la de um estupro, Osíris Del Corso recebeu um tiro no peito e morreu. Monik foi atingida por um tiro nas costas. O agressor desapareceu, mas, horas depois, retornou para violentá-la. O casal somente foi encontrado na tarde do dia seguinte.

Há quase dois anos, a Justiça do Paraná negou o recurso da defesa de Juarez Ferreira Pinto. Em 2011, outros sete homens chegaram a ser presos suspeitos de envolvimento com o crime. Quatro deles são policiais militares, um é delegado, um é investigador aposentado da Polícia Civil.

http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2014/12/condenado-no-caso-do-morro-do-boi-vai-cumprir-pena-em-prisao-domiciliar.html